Pra começar, o que é BIM?

 A gente aqui na Canteiro AEC gosta muito de definir Building Information Modeling a partir do conceito de construção virtual, ou seja, o BIM simula a obra. A gente detecta e resolve problemas quando constrói aqui pela primeira vez, no computador, e não lá no canteiro de obra.

 

O termo BIM já não é mais novidade no mercado da AEC. Ainda assim, o entendimento e a utilização das potencialidades e das mudanças de processo que o BIM traz consigo ainda parece ser um tabu. O que se vê com frequência é a transcrição de projetos CAD para o Revit ou outra ferramenta de modelagem BIM. A partir disso temos um modelo 3D do empreendimento que, por si só, já traz diversos benefícios de visualização e entendimento dos projetos. Mas o BIM está longe de ser só isso. O modelo 3D pode ser tornar um centralizador de informações do projeto e abastecer diversos outros processos da construção com informação. A utilização de softwares como Navisworks, Solibri, Synchro, Vico, entre outros, permite que o modelo virtual esteja diretamente vinculado ao orçamento e ao planejamento de obra, por exemplo, integrando e automatizando estes processos. Vantagens claras são a redução de erros humanos e organização das informações, que deixam de ser “jogadas” do Revit para planilhas, de planilhas para ERPs, e assim por diante. Além disso, cada informação passa a ter um vínculo com elementos do modelo, o que facilita o entendimento e torna mais fácil a identificação do que está sendo considerado no orçamento ou em alguma atividade do planejamento. Assim, o trabalho de arquitetos de engenheiros deixa de ser tão mecânico e passa a ser focado no estudo de soluções e melhores de projeto.

 

Esse vídeo da Graphisoft, empresa reponsável pelo ARCHICAD, outro software de modelagem BIM, explica de uma maneira divertida e objetiva o que pensamos sobre o assunto.

 

 

A tendência é que as empresas de projeto passem a aderir ao BIM à medida que a tecnologia também evolui e viabiliza o dimensionamento de forma cada vez mais prática. A partir desse ponto entra em ação a engenharia simultânea, onde projetistas podem pensar o empreendimento de maneira conjunta de forma que o BIM contempla todo o processo e deixa de ser uma ferramenta posterior ao desenvolvimento do projeto.

 

Quem ganha com tudo isso? Gostamos de pensar que o BIM beneficia todos os players da construção. A indústria se desenvolve, reduzem-se os desperdícios e fica mais fácil construir.

Tags:

Please reload

Posts em destaque

Pra começar, o que é BIM?

25/07/2016

1/2
Please reload

Posts recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Tags
Please reload

Siga-nos no      
  • Facebook Basic Square

©2016. Criado orgulhosamente aqui na CANTEIRO AEC